Funcionalidades do Site

Hora Legal

Entre o último domingo de Outubro e o último domingo de Março seguinte é adotada a Hora de inverno para Portugal Continental, pelo que a hora legal:

- Coincide com o Tempo Universal Coordenado (Hora legal = UTC)
- Coincide com a Hora Central Europeia diminuindo de 60 minutos (Hora legal = CET -1)

Entre o último domingo de Março e o último domingo de Outubro é adotada a Hora de verão para Portugal Continental, pelo que a hora legal:

- Coincide com o Tempo Universal Coordenado aumentando de 60 minutos (Hora legal = UTC +1)
- Coincide com a Hora Central Europeia de verão diminuindo de 60 minutos (Hora legal = CEST -1)

Critérios de Emissão dos Avisos


Distrito de Leiria

Aviso Parâmetro Amarelo Laranja Vermelho Unidade Notas
Vento Rajada Máxima do Vento 70 a 90 91 a 130 > 130 km/h
90 a 110 111 a 130 > 130 km/h Nas terras altas
Precipitação Chuva/Aguaceiros 10 a 20 21 a 40 > 40 mm/1h Milímetros numa hora
30 a 40 41 a 60 > 60 mm/6h Milímetros em 6 horas
Neve Queda de Neve
1 a 5 6 a 30 > 30 cm Cota (altitude <1000 m)
Trovoada Descargas Eléctricas a) b) c) a) Frequentes e Dispersas.
b) Frequentes e Concentradas.
c) Muito Frequentes e excessivamente concentradas.
Nevoeiro Visibilidade *≥ 48h *≥ 72h *≥ 96h * - duração
Tempo Quente Temperatura Máxima 31 a 35* 36 a 40* > 40* ºC * - duração ≥ 48 horas
Tempo Frio Temperatura Mínima -1 a -3* -4 a -6* < -6* ºC * - duração ≥ 48 horas
Agitação Marítima Altura Significativa das Ondas 4 a 5 5 a 7 > 7 m

Imagens do Satélite Meteosat

As imagens do Satélite Meteosat estão dividas em 3 categorias:

Canais Espetrais - para a simples observação das imagens usando os diferente canais espetrais
Combinação de Canais RGB - para visualziação da composição de diferentes canais com diferentes comprimentos de onda (denominado RGB Composto)
Parâmetros Estimados - para visualização de parâmetros meteorológicos estimados através da utilização de algoritmos que efetuam o tratamento dos dados presentes nas imagens de satélite.

Canais Espetrais

São constituídos por um conjunto de canais na região do visível (VIS), infravermelho (IR), vapor de água (WV) e visível de alta resolução (HRV). Em termos de meteorologia os canais mais utilizados são o canal 09 (infravermelho térmico) e o canal 12 (visível de alta resolução).

IR-Canal 09 (10.8 µm)

As imagens do canal 09 servem para identificar diferentes superfícies através de diferenças de temperatura entre elas, permitindo assim distinguir nuvens do solo e nuvens entre si com base nas diferentes temperaturas dos seus topos.

Numa imagem do infravermelho, os objetos mais quentes aparecem mais escuros que os objetos mais frios:

• Áreas sem nuvens serão tipicamente escuras. É de realçar igualmente que as nuvens muito baixas e os nevoeiros podem aparecer como escuros;
• A maior parte das outras nuvens são brilhantes. As nuvens dos níveis mais altos da atmosfera são mais brilhantes (mais frias) que as nuvens dos níveis baixos (mais quentes), uma vez que de um modo geral a temperatura diminui com a altura.

Com este canal consegue-se obter imagens durante 24 horas, ou seja de dia e de noite.

IR-Canal 07 (8.7 µm)

As imagens do canal 07 servem basicamente para o reconhecimento de altos cirrus, sendo também útil para distinguir nuvens de água e nuvens de gelo. Funcionam durante o dia e noite. Com este canal consegue-se obter imagens durante 24 horas, ou seja de dia e de noite.

Nesta imagem os objetos mais quentes aparecem mais escuros que os objetos mais frios:

• As áreas sem nuvens serão tipicamente escuras;
• As nuvens dos níveis mais altos da atmosfera são mais brilhantes (mais frias) que as nuvens dos níveis baixos (mais quentes).

IR-Canal 04 (3.9 µm)

Com as imagens do canal 04 é possível observar:

• Nuvens baixas e nevoeiro durante o dia e noite;
• Nuvens do tipo cirrus finos (noite e dia) e de nuvens muito estratificadas (dia);
• Temperatura do solo e do mar (noite);
• Composição das nuvens (dia e noite);
• Estrutura dos topos das nuvens cumuliformes (dia).

HRV-Canal 12 (0.75 µm)

O canal HRV capta radiação em toda a banda do visível (entre cerca de 0.4 e 0.8 μm) em vez de radiação centrada nos 0.6 e 0.8 μm como acontece nos canais VIS 0.6 e VIS 0.8, respetivamente. Além disso, a resolução espacial das imagens do canal 12 é de 1km, o que permite identificar estruturas mais pequenas (daí o nome High Resolution).

VIS-Canal 01 (0.6 µm)

As imagens do visível só podem ser obtidas durante o dia uma vez que representam a quantidade de luz solar que está a ser refletida para o espaço pelas nuvens ou pela superfície da Terra.

Este canal é principalmente utilizado para:

• Deteção de nuvens e nevoeiro;
• Classificação das nuvens;
• Monitorização de neve e gelo.

Com as imagens do canal 01:

• As nuvens e a neve aparecem a branco;
• As áreas ou zonas sem nuvens surgem com a cor preta;
• As nuvens mais espessas têm uma maior refletividade e aparecem mais brilhantes que as nuvens mais finas.

WV-Canal 05 (6.2 µm)

As imagens de WV-Canal 05 (6.2 µm) servem para identificar o vapor de água presente na alta troposfera.

Com as imagens do canal 05:

• Cor escura representa ar seco em altitude;
• Cor mais acinzentada maior quantidade de vapor de água em altitude;
• Cor branca indica a presença de nuvens de topo alto.

Combinação de Canais RGB

Para além da observação simples dos canais é possível fazer-se um composto de diferentes canais, com diferentes comprimentos de onda, no que resultam imagens que provêm da:

• Combinação dos três canais da região visível do espectro, centrados em 0.6, 0.8 e 1.6 µm.
• Combinação do canal HRV, canal visível com a resolução espacial de 1 Km na vertical do satélite, e o canal Infravermelho Térmico 10.8 µm.
• Combinação dos canais infravermelhos, vapor de água e da componente visível.

Massas de Ar

É utilizado para monitorizar evolução de ciclones, nomeadamente ciclogéneses rápidas, anomalias na corrente de jato ou jet stream (surgem de cor vermelha) e anomalias de Vorticidade Potencial (PV - Potential Vorticity).


O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• Em áreas de cor vermelha destacam-se zonas com alto potencial de vorticidade, baixa tropopausa (ar estratosférico descendente seco), pelo que a corrente de jato (jet stream) é mais forte.
• As áreas de cor verde são reconhecidas como massas de ar quente (baixa concentração de ozono) e tropopausa alta.
• Em áreas de cor azulada evidenciam-se massas de ar frio e tropopausa baixa.
Nuvens altas aparecem com cor branca e nuvens médias aparecem com cor ocre (mais amareladas, acastanhadas).

Resumo genérico da interpretação das cores utilizadas:
Resumo de interpretação de cores utilizadas em função da altura das nuvens na atmosfera:

Nuvens

É utilizado para monitorização detalhada das nuvens: serve para identificar nuvens baixas, nuvens altas e as nuvens translúcidas.


O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• As nuvens baixas apresentam um tom amarelo vivo.
• As nuvens médias apresentam um tom amarelo claro.
• As nuvens altas apresentam um tom azul claro/branco.
• As nuvens de desenvolvimento vertical apresentam uma cor branca.
• O solo apresenta uma cor acastanhada.
• O mar apresenta uma cor azul escura.

Resumo de interpretação de cores utilizadas:

Cor Natural

Esta categoria é utilizada para a deteção de vegetação, de desertos, de nuvens e de neve.


O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• A vegetação aparece com cor esverdeada (maior reflecção a partir do canal VIS0.8).
• O solo sem vegetação (zonas desérticas) aparecem a castanho (maior reflecção no canal NIR1.6 e VIS0.8), em que a intensidade é influenciada pelo teor de água do solo.
• O mar surge com a cor azul escura/preto (reflecção na banda VIS0.6).
• As nuvens de gelo (nuvens altas) aparecem como azul-turquesa e a neve como azul brilhante (cyan), devido à maior reflecção nas bandas VIS0.6 VIS0.8
• As Nuvens de água líquida (constituídas por pequenas gotículas de água) aparecem como brancas (quanto mais baixas forem as nuvens mais rosadas são), o que corresponde a uma reflecção semelhante em todos os três canais.

Resumo genérico da interpretação das cores utilizadas:
Resumo de interpretação de cores utilizadas em função da altura das nuvens na atmosfera e do tipo de superfície:

Microfísica

É utilizado para a análise de nuvens para a identificação de:

• Conveção (permite identificar nuvens convectivas com rápidos movimentos ascendentes).
• Nevoeiros e neblina, neve e incêndios.

O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• As Nuvens com gotículas de água que não precipitam aparecem como cor branca, porque as gotículas de água são pequenas.
• As Nuvens com gotículas de água que precipitam aparecem como cor de rosa, porque as gotículas de água são grandes.
• As Nuvens com gotículas de água super arrefecidas aparecem com cor mais amarelada.
• As Nuvens frias e espessas (grossas) com topos compostos por partículas de gelo (topos de Cumulonimbos) aparecem com cor vermelha.

Resumo genérico da interpretação das cores utilizadas:
Resumo de interpretação de cores utilizadas em função da altura das nuvens na atmosfera e do tipo de superfície:

Conveção

É utilizado para a identificação de tempestades severas convectivas, quando estas ainda estão em formação.


O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• Os cúmulos-nimbos (com fortes correntes ascendentes) aparecem com a cor amarela brilhante.
• As nuvens altas com elevado conteúdo de água surgem com a cor vermelha.
• Os cirros finos aparecem com a cor violeta.

Resumo genérico da interpretação das cores utilizadas:
Resumo de interpretação de cores utilizadas em função da altura das nuvens na atmosfera e do tipo de superfície:

Neve

É utilizado para monitorizar e acompanhar:

• A evolução diurna de nevoeiros e de nuvens baixas (baixos estratos).
• A deteção diurna de neve.

O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

Análise da imagem:

• A neve aparece com a cor vermelha
• O nevoeiro/nuvens baixas aparecem esbranquiçadas.
• As nuvens compostas por pequenas partículas de gelo aparecem com a cor laranja.

• As nuvens compostas por grandes partículas de geloaparecem com uma maior componente de vermelho. É de realçar que a neve no solo aparece como totalmente vermelha, pois a sua textura é muito maior que as partículas de gelo.


Resumo genérico da interpretação das cores utilizadas:
Resumo de interpretação de cores utilizadas em função do tipo de superfície:

Nevoeiro

É utilizado para monitorizar e acompanhar:

• A evolução noturna de nevoeiros e de nuvens baixas (baixos estratos), que de outra forma não são visíveis nos canais individuais de infravermelhos.
• A deteção de incêndios, os limites da humidade dos níveis baixos e a classificação de nuvens.

O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• Os nevoeiros aparecem em cor amarelada/verde claro.
• As nuvens altas surgem em cor mais escura.

Resumo genérico da interpretação das cores utilizadas:
Resumo de interpretação de cores utilizadas em função da altura das nuvens na atmosfera e do tipo de superfície:

É utilizado para monitorizar e detetar a evolução diurna e noturna de tempestades de areia do deserto, nuvens finas e rastos de navios.


O significado do esquema de cores utilizado é o seguinte:

• As nuvens finas (translucidas) de gelo dos níveis mais altos aparecem com a cor preta.
• As nuvens espessas (grossas) aparecem com a cor vermelha.


Resumo de interpretação de cores utilizadas em função da altura das nuvens na atmosfera e do tipo de superfície:

Parâmetros Estimados - Produtos de Nuvens

Temperatura do Topo das Nuvens (ºC ou ºK)

Nesta categoria é estimada a temperatura dos topos das núvens que é expressa em ºC ou ºK, com a utilização das seguintes escalas de cores:


Altura do Topo das Nuvens (Km ou m)

Nesta categoria é estimada a altura a que estão situados os topos das núvens e é expressa em quilómetros ou metros, com a utilização das seguintes escalas de cores:


Pressão do Topo das Nuvens (hPa)

Nesta categoria é estimada a pressão do topo das nuvens e é expressa hPa, com a utilização das seguintes escalas de cores:


Espessura das Nuvens sob forma Liquida (m)

Nesta categoria é estimada a espessura das nuvens sob a forma líquida e é expressa em metros, com a utilização das seguintes escalas de cores:


Radiação Solar à Superfície (W/m2)

Nesta categoria é estimada a radiação solar à superfície terrestre e é expressa em W/m2, com a utilização das seguintes escalas de cores:


Tamanho (Raio) das Gotículas de Água do Topo das Nuvens (mm)

Nesta categoria é estimado o tamanho das gotículas de água do topo das nuvens e é expressa milimetros, com a utilização das seguintes escalas de cores:


Máscara de Núvens

Nesta categoria são identificadas as áreas sem nuvens, onde outros produtos tais como a quantidade de água precipitável (total e em camadas), temperaturas de superfície e do mar podem então ser estimados. São igualmente identiifcadas as áreas cobertas de nuvens, onde outros produtos tais como o tipo, a altura e a temperatura das nuvens podem então ser determinados. É utilizada as seguinte escala de cores:


Tipo de Nuvens

Nesta categoria é efetuada a análise detalhada de nuvens, podendo esta informação ser utilizada para a estimação da altura e da temperatura do topos das nuvens e para a identificação das nuvens precipitáveis. É utilizada as seguinte escala de cores para a identificação dos seguintes tipos de nuvens:


Parâmetros Estimados - Produtos de Precipitação

Intensidade de Precipitação (mm/h)

Nesta categoria é estimada a intensidade instântanea da precipitação e é expressa mm/h, com a utilização da seguinte escala de cores:


Estimação de Precipitação com Multi-Sensores (mm/h)

Esta categoria mostra a intensidade de precipitação instantânea em mm/h tendo em conta a seguinte escala de cores:


Probabilidade de Nuvens Precipitáveis (%)

Nesta categoria pretende-se quantificar as nuvens precipitáveis e as nuvens não precipitáveis, ou seja os locais onde poderá estar ou não a chover. É de realçar que nesta categoria não se pretende quantificar a quantidade de precipitação, mas antes a probabilidade de ocorrência de precipitação (%) em função da presença de nuvens precipitáveis e de nuvens não-precipitáveis.

A escala de cores utilizada é a seguinte:


Intensidade (Instantânea) da Precipitação Convectiva (mm/h)

Nesta categoria pretende-se quantificar a intensidade instântanea de precipitação associada à presença de nuvens convetivas, sendo expressa em mm/h, com a utilização da seguinte escala de cores:


Nota: O output está calibrado para acumulações horárias que resultam de nuvens convectivas, cujos valores oscilam entre 0 e 51,0 mm/h, com incrementos mínimos de 0,2 mm/h.

Precipitação Convectiva Acumulada em 1h

Nesta categoria pretende-se quantificar a acumulação horária de precipitação associada à presença de nuvens convetivas, sendo expressa em mm, com a utilização da seguinte escala de cores:


Nota: O output está calibrado para acumulações horárias que resultam de nuvens convectivas, cujos valores entre 0 e 51,0 mm, com incrementos mínimos de 0,2 mm.

Probabilidade Precipitação baseada nas Propriedades Físicas da Nuvem (%)

Nesta categoria pretende-se estimar a probabilidade de ocorrência de precipitação (%), com base nas propriedades físicas da nuvem. Este parâmetro é expresso como sendo a probabilidade instantânea da intensidade de precipitação que seja maior ou igual a 0,2 mm/h ao nível de cada pixel da imagem.

A escala de cores associada à probabilidade de precipitação é a seguinte:


Intensidade (Instantânea) da Precipitação Convectiva baseada nas Propriedades Físicas da Nuvem (mm/h)

Nesta categoria pretende-se quantificar a intensidade instântanea de precipitação convetiva associada às propriedades físicas das respetivas nuvens convetivas, sendo a mesma expressa em mm/h, com a utilização da seguinte escala de cores:.


Nota: O output está calibrado para acumulações horárias que resultam de nuvens convectivas, cujos valores oscilam entre 0 e 51,0 mm/h, com incrementos mínimos de 0,2 mm/h.

Precipitação Convetiva Acumulada em 1h baseada nas Propriedades Físicas da Núvem (mm)

Nesta categoria pretende-se quantificar a acumulação horária de precipitação convetiva associada às propriedades físicas das respetivas nuvens convetivas, sendo expressa em mm, com a utilização da seguinte escala de cores:


Nota: O output está calibrado para acumulações horárias que resultam de nuvens convectivas, cujos valores oscilam entre 0 e 51,0 mm, com incrementos mínimos de 0,2 mm.

Parâmetros Estimados - Produtos de Vento

Vetores de Movimentos Atmosféricos

Nesta categoria são mapeados a direção e a intensidade do vento a diferentes altitudes da atmosfera (expressa em hPa) tendo em conta a seguinte escala de cores:


Parâmetros Estimados - Produtos de Massas de Ar

Os algoritmos aplicados permitem estimar o perfil físico de determinados parâmetros atmosféricos, tais como os perfis de temperatura e de humidade, bem como a temperatura de superfície para um céu limpo. Estes algoritmos fornecem informações sobre o vapor de água contido em várias camadas da troposfera, de forma a se poder estimar índices de estabilidade da atmosfera. Estes parametros são calculados a partir dos perfis obtidos para a temperatura e humidade.

Quantidade de Água Precipitável Total (mm) na Atmosfera

Nesta categoria é estimada a quantidade de água precipitável total desde a superfície terrestre até ao topo da atmosfera e é expressa em mm, com a utilização da seguinte escala de cores:


Quantidade de Água Precipitável nas Camadas Baixas da Atmosfera (mm)

Nesta categoria é estimada a quantidade de água precipitável total desde a superfície terrestre até à camada situada a 850 hPa e é expressa em mm, com a utilização da seguinte escala de cores:


Quantidade de Água Precipitável nas Camadas Intermédias da Atmosfera (mm)

Nesta categoria é estimada a quantidade de água precipitável total desde a camada situada a 850 hPa até à camada situada a 500 hPa e é expressa em mm, com a utilização da seguinte escala de cores:


Quantidade de Água Precipitável nas Camadas Elevadas da Atmosfera (mm)

Nesta categoria é estimada a quantidade de água precipitável total desde a camada situada a 500 hPa até ao topo da atmosfera e é expressa em mm, com a utilização da seguinte escala de cores:


Parâmetros Estimados – Produtos de Estabilidade das Imagens

Os algoritmos aplicados permitem estimar o perfil físico de determinados parâmetros atmosféricos, tais como os perfis de temperatura e de humidade, bem como a temperatura de superfície para um céu limpo. Estes algoritmos fornecem informações sobre o vapor de água contido em várias camadas da troposfera, de forma a se poder estimar índices de estabilidade da atmosfera. Estes parametros são calculados a partir dos perfis obtidos para a temperatura e humidade.

Índices de Estabilidade – Índice LI

Nesta categoria é estimado o índice LI (Lifted Index) a partir dos perfis de temperatura e humidade da atmosfera e é expresso em ºK, com a utilização da seguinte escala de cores:


Índices de Estabilidade – Índice KI

Nesta categoria é estimado o índice KI (K -Index) a partir dos perfis de temperatura e humidade da atmosfera e é expresso em ºK, com a utilização da seguinte escala de cores:


Índices de Estabilidade – Índice SHW

Nesta categoria é estimado o índice SHW (Showalter Index) a partir dos perfis de temperatura e humidade da atmosfera e é expresso em ºK, com a utilização da seguinte escala de cores:


Parâmetros Estimados – Produtos de Tempestades ou Conveção

Desenvolvimento Rápido de Tempestades

Nesta categoria é estimado o rápido desenvolvimento de células convectivas que estão associadas a sistemas convetivos, ou seja que levam à à criação de violentas tempestades. Esta categoria fornece então informações sobre nuvens que estão relacionadas com sistemas convetivos significativos, observados desde a escala meso-alfa (200 a 2000 km) até escalas menores (poucos pixels), com a utilização da seguinte escala:


Parâmetros Estimados – Produtos de Interpretação Automática de Imagens

Nesta categoria são apesentadas as interpretações automáticas de imagens por satélite e que são expressas na simbologia que é utilizada nos modelos conceptuais (CM – Conceptual Models). Os CM pretendem ser uma síntese representativa dos processos físicos que ocorrem na atmosfera e das características típicas que os mesmos determinam no aspeto que têm as imagens de satélite. Para além da informação das imagens de satélite, os CM pretendem igualmente sintetizar informação proveniente de outro tipo de material sinótico tal como os parâmetros de saída dos modelos numéricos de previsão do estado do tempo.

O diagnóstico dos CM poe ser utilizado para um aprofundamento do diagnóstico sinótico, para a deteção precoce de processos meteorológicos atuais, bem como para a determinação do estágio de desenvolvimento desses processos meteorológicos.

Interpretação Usando somente Imagens do Satélite Meteosat

São usadas unicamente as imagens do satélite Meteosat com a utilização da seguinte legenda:


Interpretação Usando Imagens do Satélite Meteosat e da Saída do Modelo Numérico Europeu (ECMWF)

São usadas as imagens do satélite Meteosat juntamente com a saída do Modelo Numérico Europeu de Previsão do estado do Tempo (ECMWF – European Centre for Medium-Range Weather Forecasts) com a utilização da seguinte legenda:


Modelos Numéricos de Previsão

Grande parte dos parâmetros metereológicos nos modelos numéricos da previsão são descritos a um determinado nível, tipicamente 300, 500 ou 850 hPa (hectoPascal). Estes níveis correspondem a altitudes, tendo em conta que a pressão diminui à medida que nos elevamos. De seguida é apresentada uma correspondência aproximada entre pressão e altitude.

1013 hPa = nível médio do mar
900 hPa = 990 m
850 hPa = 1460 m
800 hPa = 1950 m
700 hPa = 3000 m
600 hPa = 4200 m
500 hPa = 5500 m
400 hPa = 7200 m
300 hPa = 9200 m
250 hPa = 10400 m (Nível Médio da tropopausa)
200 hPa = 12000 m

Para lá destes valores entramos na estratosfera, camada da atmosfera que não nos interessa, porque os fenómenos meteorológicos significativos ocorrem entre o solo e a tropopausa.

GFS

O GFS (Global Forecast System) é um modelo Americano para previsao de fenómenos meteorológicos. Tem atualmente quatro saidas, às 00h, 6h, 12h e 18h (UTC).

Geopotencial a 500 hPa: mostra o geopotencial a 500 hPa, assim como a pressão ao nivel do solo.
Precipitação Acumulada em 3h: mostra a quantidade de precipitação acumulada em 3h (mm/3h)
Precipitação Acumulada em 6h: mostra a quantidade de precipitação acumulada em 6h (mm/3h)
Cobertura Nebulosa & Precipitação: mostra o conjunto da precipitação, pressão e nebulosidade
Temperatura a 2m: é apresentada a temperatura em Cº a 2 metros de altitude
Temperatura a 850 hPa: é apresentada a temperatura em Cº a 850 hPa de altitude
Temperatura a 500 hPa: é apresentada a temperatura em Cº a 500 hPa de altitude
Temperatura a 10 hPa: é apresentada a temperatura em Cº a 10 hPa de altitude (acima da tropopausa)
Vento a 300 hPa ou Jet Stream (km/h): mostra a velociadade e direção do vento a uma altitude de 300 hPa

ECMWF

O ECMWF (European Centre for Medium-Range Weather Forecasts) é um modelo Europeu para previsão de fenómenos meteorológicos. Tem apenas duas saidas, às 00h e 12h (UTC).

Pressão ao nivel médio do mar: mostra o geopotencial a uma altitude de 500 hPa e a pressao ao nivel médio do mar.
Geopotencial a 500 hPa: mostra o geopotencial a 500 hPa, assim como a pressão ao nivel do mar.
Temperatura a 850 hPa: é apresentada a temperatura em Cº a 850 hPa (cerca de 1460m de altitude)
Vento a 850 hPa: mostra a velocidade (km/h) e direção do vento a uma altura de 850 hPa.

ALADIN

O ALADIN (Aire Limitée Adaptation dynamique Développment INternational) é um modelo de previsão numérica do tempo de área limitada e alta resolução, sendo neste caso limitado a Portugal Continental

Pressão Nível Médio do mar: mostra a pressão ao nivel médio do mar.
Geopotencial & Vento a 300 hPa: mostra o geopotencial, a direção e velocidade do vento a uma altitude de 300 hPa
Geopotencial & Vento a 500 hPa: mostra o geopotencial, a direção e velocidade do vento a uma altitude de 500 hPa
Precipitação acumulada em 6h: mostra a precipitação total (mm) acumulada em 6 horas.
Temperatura do ar a 2m: mostra a temperatura do ar a 2 metros de altitude.

AROME

O AROME (Applications of Research to Operations at MEsoscale) é um modelo de previsão numérica do tempo de área limitada e alta resolução, sendo neste caso limitado a Portugal Continental

Pressão ao Nível Médio do Mar e Vento: mostra a rajada de vento em km/h a 10 metros, assim como a pressão ao nivel médio do mar (hPa)
Precipitação acumulada em 3h: mostra a precipitação total (mm) acumulada em 3 horas.
Nebulosidade: mostra a altura das nuvens (baixa, média ou alta).
Temperatura do Ar: mostra a temperatura a 2 metros (ºC).
Rajada Máxima a 10 m: mostra a rajada máxima a 10 metros das ultimas 3 horas.